10 MOTIVOS PARA VOCÊ ESCOLHER A PRF


Olá pessoal…

Quero, nesse texto, falar dos 10 motivos que me fazem recomendar a PRF como uma escolha não só de profissão, mas de vida.

01 – A ESCALA E TRABALHO

Na PRF você pode escolher se quer trabalhar na parte operacional ou na parte administrativa. Caso escolha a área operacional, você irá trabalhar em regime de escala de plantão.

Eu, particularmente, vejo na escala uma grande vantagem. Conforme determina a Lei 8.112, o servidor público federal deve trabalhar 40 horas semanais. No entanto, para quem trabalha em escala, isso funciona um pouco diferente. Como cada plantão dura 24, você irá tirar 07 plantões por mês, totalizando 168 horas. Tirando esses 07 dias que você vai trabalhar, o resto é folga.

Assim, se você tiver fôlego para aguentar trabalhar 24h, terá muito tempo livre durante o resto do mês, podendo se dedicar a diversas outras atividades, curtindo a vida da melhor forma que desejar.

Não é só a PRF que trabalha em regime de escalas. No DEPEN, e em alguns poucos setores da PF, também é assim.

 

02 – A ROTINA DE NÃO TER ROTINA

Uma das coisas que mais me fascina na PRF é a total inexistência de rotina. Você jamais saberá o que é tédio trabalhando nesta instituição.

Nenhum plantão é igual ao outro: num dia você recebe da inteligência uma informação e sai no encalço de um foragido; outro dia você vai para uma operação de combate ao trabalho escravo; ou então você está fiscalizando o trânsito e é interrompido por um acidente; ou você é convocado para auxiliar a desbloquear uma rodovia ocupada por índios no Pará; pode também ser designado a mapear as áreas de prostituição infantil ao longo das rodovias, combatendo este crime tão odioso; ou, quiçá, é chamado para simplesmente retirar um cavalo que está correndo na rodovia, causando risco de acidentes. Enfim, são infinitas as possibilidades.

 

Outra situação que pode acontecer é se reunir com os colegas, fazer uma “vaquinha” e, no natal, ir em uma comunidade carente distribuir presentes. Foi o que fizemos em 2014, lá no Tocantins.

 

 

03 – ESPECTRO DE TRABALHO ABRANGENTE

Na PRF você encontrará uma gama absurda de atribuições. Há espaço para todos os perfis de pessoas.

Se você gosta de animais, poderá trabalhar no grupo de cães farejadores. Caso goste de trabalhar na parte administrativa, há diversos setores para você escolher. Se gosta de adrenalina, poderá ingressar no Núcleo de Operações Especiais e participar de operações de alta periculosidade. Se gosta de trânsito, pode se especializar nos diversos cursos oferecidos pelo órgão. Caso queira voar pelos céus, pode ingressar no curso de Piloto de Helicóptero da PRF. Gosta de moto? Então pode fazer o curso de motociclismo e ingressar nesse grupo especializado. Se achar que tem vocação para ser um tipo de “agente secreto”, pode ingressar na inteligência da PRF. Se gosta de física, pode fazer o curso de perícia de acidentes e trabalhar com isso.

Encerro por aqui, para não me alongar, mas saiba que a lista poderia seguir por mais uma ou duas páginas.

04 – POSSIBILIDADE DE VIAJAR PELO BRASIL TODO

Na PRF não irá faltar oportunidades de viagens para você. Em pouco menos de dois anos, já recebi 5 ofertas de missões: duas para o Maranhão, uma para Brasília, uma dentro do Tocantins e outra para a Serra Gaúcha.

Se você quiser, poderá conhecer o Brasil todo.

05 – RETORNO MAIS RÁPIDO PARA A SUA CIDADE DE ORIGEM

Em outros órgãos, como Polícia Federal, Receita, Banco Central, MPU, etc, demora-se muito mais que na PRF para retornar para a casa. Eu, após cerca de um ano fora do meu Estado, já consegui retornar.

Tenho colegas que com 6 meses já conseguiram voltar para casa. Isso ocorre em virtude das frequentes nomeações que ocorrem na PRF, além de uma política do órgão de mobilidade de seus servidores. Em outras instituições o retorno pode demorar até mais de 07 anos, como na Abin e no Banco Central.

 

06 – CLIMA NO AMBIENTE DE TRABALHO

Já trabalhei na Justiça Federal e no Ministério Público Federal. Em nenhum desses lugares eu me senti tão bem como na PRF. Aqui os servidores são motivados, trabalham com garra. Sentem realmente “orgulho de pertencer” (se você um dia for PRF, irá ouvir muito essa frase).

Nosso trabalho envolve muito pouco de burocracia, é dinâmico. Quando o plantão termina, o trabalho também termina, ao contrário do que ocorre em outros órgãos. No MPF, por exemplo, quando eu saía de férias o trabalho que eu tinha apenas acumulava e ficava lá, esperando eu retornar das férias. Isso não existe na PRF, o que contribui em muito para o bom ambiente.

Já o clima em nossa coirmã, a Polícia Federal, não é tão bom assim. Embora tenha muito glamour na atividade em função das operações de impacto nacional, a situação lá não é dos melhores. Um dos motivos é o tempo que se demora para retornar para a casa; outro motivo é a relação com o Delegado, bastante conturbada em função da divisão entre os cargos. Não é por acaso que todos os anos diversos policiais federais se suicidam.

 

 

07 – AMIZADES PARA TODA A VIDA

Em função do trabalho policial, no qual a vida de um depende do cuidado do outro, os laços de amizades criados são muito fortes. Após dois plantões com o mesmo colega você já sente que ele é seu irmão. É incrível. Isso você não irá ver em nenhum outro órgão.

 

 

08 – AUSÊNCIA DO CARGO DE CHEFE

Na PRF, não existe um cargo eterno de chefe, como ocorre na Polícia Federal, com o Delegado em relação aos agentes, e na Polícia Militar, com os oficiais em relação aos praças. Aqui não há cargo de chefe, mas apenas função de chefia.

Aquele que um dia está chefe, amanhã poderá não mais estar. E você, com talvez apenas um ano de PRF, já possa ser convidado a ser chefe de alguma Delegacia pelo Brasil. Essa característica torna a relação entre os colegas muito mais harmoniosa, havendo um respeito mútuo entre aquele que está na posição de chefe e o efetivo.

 

09 – REMUNERAÇÃO

A PRF fechou um acordo com o governo que melhorou um pouco nossa remuneração. Embora ainda não esteja no patamar que considero justo para as carreiras de nível superior, nosso salário é muito bom comparado com a realidade brasileira.

Somando todos os acréscimos, quem ingressar em 2017 na PRF irá receber pouco menos de R$ 10.000 como remuneração. E, após três anos, o valor passa para R$ 12.000.

Abaixo, a nova tabela remuneratória. Nela não constam alguns valores, como auxílio alimentação e ressarcimento do plano de saúde.

 

 

10 – APOSENTADORIA ESPECIAL

Os policiais possuem, em função do risco da atividade, aposentadoria especial. Significa que nos aposentamos 05 anos antes dos demais trabalhadores. Mais tempo para curtir a vida.

 


 

 

Na sua veia já corre um sangue policial. Contudo, necessita apenas cumprir uma mera formalidade: ser aprovado no próximo concurso.  Acredite em você e realize seu sonho!

 

 

Quer entrar em contato com nossa equipe? #ChamaNoWhats

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *